ALÉM DO PONTAL DA BARRA

74313274_1393410584156956_3722743275531010048_o

Por Alberto Schownke, Sul das águas

Conheça a “Barra Falsa” do Canal São Gonçalo, um local capaz de confundir os navegadores da Lagoa

A 6 quilômetros para o Sul do Trapiche da Praia do Laranjal, fica a Barra Falsa do Canal São Gonçalo. Uma grande enseada com pouca profundidade que se afunila até a entrada da Barra Falsa, sendo ainda capaz de confundir navegadores na Lagoa dos Patos vindos de São José do Norte e Rio Grande/RS.

Este primeiro canal é o início do Arroio da Barra Falsa que dá acesso a uma lagoa no interior dos campos e outro arroio que se une ao primeiro na mesma desembocadura da grande lagoa. É preciso o nível da Lagoa dos Patos estar médio para a navegação, de preferência em embarcações pequenas ou caiaques.

Para quem está na beira da Praia do Laranjal este lugar fica na direção do Pontal da Barra na outra margem do Canal São Gonçalo, em direção a cidade de Rio Grande e a Ilha da Torotama. No outro lado casas, casas sob palafitas na beira do Canal São Gonçalo e a praia de areia que se estende Lagoa dos Patos adentro, formando o Baixio dos Granadeiros (grande área rasa da lagoa). Sobre estas águas que navegamos até chegar a Barra Falsa ou Praia do Umbú.

A navegação por esta região, extremamente rasa, deve ser feita com cuidados especiais, pois a variação da direção do vento é determinante no nível da lagoa e seus arroios, podendo oscilar 40 centímetros em poucas horas, o suficiente para complicar ou impedir a saída de um destes arroios.

Vento Oeste – Baixa o nível da lagoa no Laranjal

Vento Leste – Sobe o nível da lagoa no Laranjal.

Pelo mapa é possível entender melhor a localização do canal da Barra Falsa que se estende até uma grande lagoa, na base dela seguem, um para cada lado, o principal Arroio da Barra Falsa e o menor Arroio do Peixe.

– O Arroio do Peixe tem sua entrada a esquerda de quem entra pela lagoa, sendo navegável por 3 quilômetros com profundidade de 50 centímetros (nível normal da lagoa). Possui poucas barrancas e locais para desembarcar, predominam as áreas de junco normalmente alagadas.

– O Arroio Barra Falsa do Canal São Gonçalo segue numa curva a direita passando ao lado desta lagoa interna, navegável por mais de 4 quilômetros com profundidade de 60 centímetros, tendo algumas belas barrancas e extensos campos gramados com áreas de mata nativa que formam ilhas nesse cenário, sempre com algum banhado ou juncal por perto cheio de aves nativas e migratórias. Este arroio segue praticamente “ao lado” do Canal São Gonçalo pelo interior dessa área alagadiça que abrange mais de 20.000 hectares.

Área importante para a conservação na planície costeira, a Barra Falsa do Canal São Gonçalo, seus arroios e lagoa interna, são abrigo para bandos e centenas de espécies de aves, peixes e crustáceos, sendo berçário para algumas aves migratórias que cruzam pela América do Sul. Além desta questão ecológica a área abrangem grande superfície alagadiça responsável pela escape da água das chuvas e da massa de água que vem tocada pelos fortes ventos de Leste ou Nordeste fazendo a lagoa invadir a nossa orla e cidade desde a zona do Porto pelo Canal São Gonçalo até o Recanto de Portugal pelo Arroio Pelotas. A cidade de Pelotas está totalmente conectada com estas águas.

A sensação é especial de entrar navegando pela Barra Falsa, enxergando muitas vezes o fundo raso, se guiando pelos bambus e estacas de eucalipto cravados pelos pescadores locais que marcam (na maioria das vezes) as áreas fundas para se navegar.

Logo na entrada para a direita apenas junco formando longos juncais. Para a esquerda a longa faixa de terra alta com mata ciliar preservada, cheia de figueiras e palmeiras gerivá, algumas praias de areia se formam, sendo a mais conhecida a Praia do Umbú.

– O nome do local: A denominação Barra Falsa do Canal São Gonçalo iniciou no século passado pela confusão visual aos navegadores na região, desde os vindos de São Lourenço do Sul (ao Norte) pelo canal da Feitoria, ou quem vinha de São José do Norte ou Rio Grande (ao Sul) pelo Canal da Setia.

Para as grandes embarcações confundir essa barra é encalhe na certa, a lagoa passa de 7 metros de profundidade para 80 centímetros em centenas de metros.

Hoje em dia a boa sinalização por bóias e faroletes luminosos facilita a navegação comercial ou de passeio na Lagoa dos Patos, tornando mais preciso e seguro andar por estas águas, o GPS e o celular são os novos aliados tecnológicos para auxiliar neste tipo de navegação, por áreas rasas, porém, a vontade de conhecer esses belos lugares, onde a natureza se mantém preservada, ainda é o determinante para fazer alguém realmente ir lá e ver com os próprios olhos.

SUL DA ÁGUAS

Para quem quiser conhecer indo lá é só entrar em contato para saber mais. O blog suldasaguas.blogspot.com tem mais conteúdo sobre a Lagoa dos Patos, e perfil no instagram @suldasaguas tudo sobre roteiros náuticos turísticos na região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *