DEPOIS DA PORTA ARROMBADA…

DSC_0081

Quem anda pela Av. Rio Grande do Sul percebe que, em alguns pontos, o pavimento está levantando, empurrado pelas raízes das árvores plantadas no canteiro central da avenida. As árvores são pinheiros, do tipo Pinus Elliot, conhecidos como pinheiro americano, pinheiro canadense ou, simplesmente, pinus.

Tais árvores, que não são nativas do Brasil, não são adequadas para aquele local. Isso fica evidenciado pela interferência das mesmas com a fiação elétrica e com a pavimentação. Por conta da interferência na rede, sofreram podas que as tornaram muito estranhas e feias, pois se bifurcaram de forma anormal para esta espécie.

Próximo à esquina da Av. Dr. Antônio Augusto Assumpção, uma grande elevação do calçamento – que reduz a pista de rolamento em 3 metros – já provocou acidente com carro que por ali trafegava. É possível prever que, se algo não for feito para acabar com esse problema, outros acidentes poderão ocorrer. Até aqui, houve apenas danos materiais, mas quem pode saber se não teremos fatos mais graves a lamentar no futuro?

A providência, necessária e urgente, é simples: Remover aquelas árvores inadequadas, feias e problemáticas, por outras. Preferencialmente, nativas e, se possível, frutíferas, que embelezem nossa avenida, forneçam alimento aos pássaros e não criem problemas, nem para a rede elétrica nem para o pavimento.

O título acima, para quem não sabe, refere-se a um antigo ditado popular que diz: ¨Depois da porta arrombada, tranca de ferro!¨. O que isso significa? Que não adiante tomar precauções depois que algo de mau já tiver ocorrido, ou seja, ¨ É melhor prevenir do que remediar ¨.Igual providência, por motivos semelhantes, precisa ser tomada, também, com relação aos eucaliptos plantados na Av. José Maria da Fontoura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *